segunda-feira, 14 de outubro de 2013

A COR DA COLHEITA!


Lugares infinitos, ecos sem fim
Vozes rasgadas, zumbis aflitos
Em alegre aflição...

Gritos sem som, gritos no tom
Do eco mudo, sentido no fundo

Em todo lugar
Uma semente ...Algo a plantar..
Em todo lugar... a cor da colheita

O medo da chegada, da rejeição
Palavras cuspidas, possíveis olhares
Grandes e vorazes
Armados por todo lado..

Em todo lugar um coração aberto
Esperando acordar..

Olhares que correm pra alcançar..
Que alguém os enxergue..
Que alguém se mova no meio dos mortos..
Que desperte do sono, que diga sim..
Uma verdade..
A verdade que quebra as correntes!!!

Nenhum comentário:

Postar um comentário